Selinho

Selinho

18 de março de 2011

A cena médica


Ontem fiz minha primeira revisão pós quimioterapia, foi um alívio descobrir que está tudo bem e que já venci mais uma batalha. Fiquei feliz em rever a minha médica, as enfermeiras, a secretária, principalmente porque sou "mui" bem recebida e isso conta muito e porque cheguei somente para uma consulta de rotina (graças a Deus , sem surpresas). Essa rotina será bem frequente na minha vida e não dá para fugir nem mesmo enjoar dela, é preciso cuidado e atenção redobrados para que o câncer não volte.
Porém até chegar a consulta de ontem percorri um caminho que eu acredito ainda é um tanto desumano, apesar de toda a evolução da medicina e de muitos processos de humanização dos atendimentos, ainda vejo estas cenas como algo angustiante.
Acho que realizei uns 10 exames, que são absolutamente necessários e faria mais uns 20 se preciso fosse. Porém ao realizar os exames vejo que o ambiente em que permanecemos a espera, o tira roupa, bota roupa, os instrumentos que invadem nosso corpo são inevitavéis porém extremamente invasivos e desagradáveis.
Daí sonho e fantasio que um dia, quem sabe, teremos um aparelho capaz de ler pela digital toda a nossa história e saúde. Porém vejo que no momento não há espaço para a  fantasia e tenho então que encarar a maratona de exames com racionalidade focando no essencial: eu preciso fazer para prevenir a reincidência da  doença.
O que poderia ser feito para minimizar o desconforto destes momentos?
Na verdade acho que é preciso investir nas pessoas, em educação, é preciso desenvolver uma cultura de "cuidadores", investir para que as pessoas sejam habilitadas a encararem o paciente com carinho e afeto que merecem neste momento ímpar das suas vidas. É preciso que os profissionais  não se surpreendam tanto, afinal o câncer é uma das doenças mais "populares" do momento; Que haja interesse, mas não pena. Não há nada pior que o olhar de pena.
Em muitos locais é assim que ocorre, em outros há muito o que ser feito. Em todos os casos é sempre possível fazer um algo a mais para minimizar o sofrimento que hoje é meu, mas amanhã não saberemos de quem será e espero sinceramente que esse não seja um sofrimento seu.


2 comentários:

  1. Parabens pelo belo texto Luciane!
    abraço no Marcelo e filhos!

    ResponderExcluir
  2. Recebi um selo de qualidade e devo indicar blogs que mereçam ser lidos e por isso estou te escrevendo pra te dizer que o seu foi um dos que eu considero de relevância!!! Entre nesse link e copie o selo e o poste no seu blog , siga as regras, responda sobre você e indique outros que mereçam ser apreciados!!!
    Beijinho poético!!!
    http://rperon.blogspot.com/2011/03/selo-stylish-blogger-award.html

    ResponderExcluir