Selinho

Selinho

14 de dezembro de 2010

O esforço para continuar feminina...


Será que o esforço para continuar feminina é pedir muito?
Deve ser algum pecado mortal, além de vencer o câncer, ter uma vida quase normal.
Hoje quase mandei a dona de uma loja à pqp!
A criatura estava tentando me vender a parte de cima de um biquíni...
Primeiro me fez entender que fazia por medida, entrou na cabine mediu meu tórax, com prótese e sem prótese, depois adentrou o provador muito íntima minha já e começou a me ajudar a experimentar um sutiã, artigo ao qual eu não estava procurando, eu estava de lenço no pescoço e ela achou que era para esconder a prótese, o que não era verdade, pois hoje está mais fresquinho e botei o lenço por charme. Em seguida fez a vendedora vir com vários modelos prontos de biquínis para que eu experimentasse, experimentei e perguntei então se fariam sob medida, ela me disse que não, mas que eu não devia tentar esconder tanto, tinha que aceitar, afinal eu estava com "saúde" e isso era o que importava, para que esconder? Quando perguntei se fariam um forro para inserir a prótese ela me disse: - "não isso tu mesma podes fazer de algodão, um saquinho..".  Saco eu tive que ter e bem grande. Daí inchei no provador, pensei que ia chorar, pois achei de uma falta de sensibilidade, o fato de não ouvir o que eu estava procurando, além disso se não fazem sob medida, para que me medir? Me expor no provador, fazer mostrar o vazio, a cicatriz, para que? Provar os biquínís eu poderia tê-lo feito sozinha, tirei o seio, não o cerébro, não fiquei "retardada", nem com problemas para me movimentar.
Fiquei muito irritada com a situação, aí fui em outra loja, expliquei a situação e a vendedora me disse que fazem sob encomenda, mas que precisam de um modelo, não tiram medidas, foi mais discreta, (embora a gente perceba o choque no rosto, quando expliquei que tinha terminado há pouco a quimio) e combinei que levaria o meu sutiã com espaço para prótese, para ver se é possível. Pelo menos não escutei nenhum comentário ao que eu devo ou não valorizar nesta vida, depois de tudo era só o que me faltava!!!
Discrição é tudo o que queremos neste momento, não queremos nos expor muito.
Quando escrevo o blog, cuido para que a minha exposição não seja exagerada, embora que o meu objetivo é este mesmo, mostrar todas as facetas da doença e do seu tratamento, tudo o que me aconteceu, de bom de ruim e nunca esquecer que "aquilo que não me mata me deixa mais forte". Quem sabe antes desta experiência do câncer, eu não seria esta pessoa também, querendo resolver o problema sob a minha ótica, meu ponto de vista, sem ouvir a necessidade do outro?
Há de tudo nessa vida; "psicólogo de plantão", então nem se fala, tinha acabado de sair da minha terapia, momento  no qual  eu sempre saio mais reflexiva, se eu quisesse a opinião de alguém, eu pediria e não tenho paciência para quem não sabe das minhas dores e se acha no direito de dar palpite.

5 comentários:

  1. deveria ter mandado para a PQP!!! e ainda acrescentaria que deve ser recalcada!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu. Obrigada pelo seu comentário! :D
    Também já passei por situações parecidas com a sua. Esses dias tava saindo da minha fisioterapia (também fiz mastec. radical), e uma funcionária do local veio me perguntar pq eu estava sem cabelo, se era doença.
    Veja só, até parece que alguma mulher fica sem cabelo porque quer. E no final ainda me disse que o fato de eu estar doente era uma desgraça.
    Ui que nojo..Fiquei puta da vida.Urghhhhhh
    Mas no final fiquei com pena daquela infeliz.
    E é assim que devemos pensar, devemos ter pena dessas pessoas sem noção da realidade.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Anne é verdade, temos que ter pena da mediocridade, da falta de sensibilidade, mas temos que lutar contra qualquer forma de exclusão, hoje me sinto à margem...
    bj

    ResponderExcluir
  4. Luciane
    Passei por aqui para te conhecer melhor e retribuir a visita em meu blog. Como vc também passei por muitas situações desanimadoras e preconceituosas e sofri muito, mas sigo com fé em Deus e lutando sempre. A partir de hoje vou seguir seu blog tá? Força e fé sempre! Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Lú,
    Na verdade são pessoas mal resolvidas consigo mesmas, e para nosso choque nesse meio encontraremos não só terapeutas de plantão e sim, terapeutas com graduação fazendo pouco caso da dor dos outros, claro que o bom é saber que este número apesar de existir é pequeno!Pque temos ótimos profissionais. Hoje mesmo, minha sogra submeteu-se a uma procedimento cirurgico, com um detalhe pelo SUS!! foi "entregar" o paciente as 17 e as 23:00 enfermeiro algum olhava ou parava para nos dar uma resposta! Realmente, somos medidos pelo que temos, por o que aparentamos, querem nos ver com carinha de sofredores. Eu diria, estamos em um período de desumanização total! Bravo a todos aqueles que não atuam assim pois estes são seres iluminados. E nos conforta também saber que eles existem, os demais, bom estes que Deus os ilumine para mudarem!
    Beijos
    Te amo!
    Vera

    ResponderExcluir