Selinho

Selinho

2 de dezembro de 2010

GRATIDÃO

Encerrou uma etapa da minha vida da qual quero me lembrar só das coisas boas.
O tratamento quimioterápico, teve fim e eu o venci. 
Foi uma batalha e tanto, são sintomas dificílimos de explicar mas só quem já os sentiu pode entender o que se passa dentro de nós.
Também digo que há um risco grande de morte, uma vez que ele mata algumas coisas dentro de nós. 
Há morte e ressurreição em cada ciclo de quimioterapia.
Tem gente que não aguenta, eu me orgulho de ter aguentado, de ter suportado.
Suportei sempre com tranqulidade e fé e porque sabia que Deus estava ao meu lado, me cuidando, me segurando no colo.
Suportei também pela minha rede de apoio:







Agradeço minha família, meus amigos e toda a equipe da Oncotrata; especialmente a Dra Ana Paula, que me passou uma segurança e tranquilidade incríveis, depois a Dra Andrea, que cuidou de mim durante a quimio; e as duas serão minhas companheiras por muito tempo ainda, pois o meu tratamento é para o resto da vida.
As enfermeiras Debora e Claudia, que foram incansáveis, pois puncionar minha veia era uma tarefa "árdua".
Agradeço a Alessandra, assistente social, sempre sorridente  e encorajadora, igualmente agradeço a Vanessa da recepção, a Rosane da administração, enfim todas essas mulheres maravilhosas que estiveram comigo, neste tempo e que fazem parte desta família ONCOTRATA.
À minha comadre Magali e ao meu amado marido que me acompanharam, antes durante e depois, toda a minha gratidão.
Teve muito aprendizado e de novo, mais uma vez, cito Adélia Prado:
"Dor não tem nada haver com amargura. Acho que tudo que acontece é feito pra gente aprender cada vez mais, é pra ensinar a gente a viver. Desdobrável. Cada dia mais rica de humanidade."

3 comentários:

  1. LÚ, amada!

    BASTA UMA PALAVRA
    de: Cassiane
    Composição: Léa Mendonça
    Vou contar-lhe a história
    de um coxo que queria
    mergulhar sua agonia nas águas de um tanque pra se curar
    Mas chegar lá não podia
    Ajuda não conseguia
    um amigo ele não tinha para o levar
    Foi quando por ali passava o Homem de Nazaré
    Ele mandou doença embora, deu-lhe vitória e o pôs de pé
    (coro)
    Basta uma palavra, uma palavra apenas
    O mundo e seu sistema caem aos seus pés
    Não há enfermidade nem peste ou fome
    é só chamar o Homem de Nazaré
    Basta uma palavra e toda Tera treme
    em meio a densas trevas faz brilhar a luz
    Muralhas a sua frente, vão cair, não temas
    É só clamar o santo nome de Jesus

    O HOMEM DE NAZARÉ SEMPRE ESTEVE E ESTARÁ CONTIGO!!!!!
    Vera

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Vera, teu encorajamento foi muito importante! À Jesus toda honra e glória que ele merece!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Lú!É a Aládia do grupo de apoio.Acabei de postar meu vídeo:TIVE CÂNCER DE MAMA II.Dá uma olhada.Beijo!

    ResponderExcluir