Selinho

Selinho

13 de agosto de 2010

Uma protagonista de Almodóvar - Acho que me chamo Agrado...

Estava pensando, coisa que tenho feito muito nos últimos dias, e descobri que bem que eu poderia ser uma personagem dos filmes de Almodóvar, vou explicar porque.
Primeiro porque acho que este cineasta conseguiu mostrar a intensidade das mulheres com muita veracidade e de forma muito delicada, engraçada, dramática e com muita arte. Adoro seus filmes, porque mostram uma vida real, que poderia ser a minha ou a sua e mostra tudo o que as mulheres são capazes de fazer quando querem o amor...
Tudo em mim é muito intenso e embora eu pareça calma, sou muito agitada.
Agora mesmo penso que essa agitação é por causa que estou em casa, sem poder fazer muitas coisas, porém quando estava trabalhando bastante, também era agitada,  concluo então que esta é uma característica da minha personalidade.
Sou intensa e exagerada, às vezes muito feliz, às vezes, muito triste, e isto tudo, muda muito rapidamente, haja paciência dos homens da minha casa, meu marido é o que mais sofre: uma hora gargalhadas, em outra choro convulsivo. Não venham me dizer que sou bipolar, ou que estou na TPM, quando isso acontece, não me enquandro em nada disso, sou apenas muito mulher.
Por ser muito mulher, gosto de ser feminina, gasto o pouco que me resta, com cremes, com roupas, com sapatos (botas são minhas preferidas) e agora que vejo minha feminilidade um pouco ameaçada, às vezes bate o "desespero" (exagero do momento). Tive que gastar com perucas e seio postiço e se os cílios cairem, não tenham dúvida vou colocar um par de cílios postiços.
Mas para que tanta vaidade? Deve se perguntar quem lê este blog... Também não sei, mas tenho uma hipótese científica para isso. Sou recheada de hormônios femininos, tenho excesso deles, foram eles a causa deste câncer de mama, pronto achei um "culpado". Mas não estou contra eles, pelo contrário, gosto de ser assim e agora, tenho que descobrir o feminino, em uma cabeça que está careca e em um lugar vazio no corpo. Aí descubro que o feminino está impregnado na minha alma extremamente feminina e se em algum momento fiquei brava com meu corpo, hoje me reconcilio, com meus orgãos, meus hormônios, minhas enzimas, meu sangue, meu coração e meu cérebro que comanda todo o resto.
Quanto a vaidade, não sei ainda se é boa, ou se é ruim, mas sei que vale muito nos sentirmos bem com o nosso corpo. Eu acredito no poder da auto estima.
Para encerrar indico o filme: Tudo sobre minha mãe, de Pedro Almodóvar, nele há uma personagem rica em autencidade, que acredito ser o grande objetivo da vaidade, queremos enfim ser únicas. No filme, Agrado é um travesti, que é chamado em um dado momento do filme a improvisar  durante um espetáculo de teatro. A narrativa que se segue é muito engraçada e revela o quanto agradamos de fato, quando procuramos ser as mais autênticas possíveis. A primeira frase diz muitas àquelas que querem muito viver intensamente sua feminilidade, começa assim:
- Me chamo Agrado porque toda minha vida sempre quis agradar os demais...(qualquer semelhança com a maioria das mulheres, não é mera coincidência). Além de agradável sou muito autêntica... 
Daí em diante a personagem, começa a narrar o seu corpo e o quanto gastou para se tornar uma mulher de "verdade".
E encerra dizendo:
- Estás dizendo que custa muito ser autêntica? Senhora nestas coisas não devemos economizar, porque uma pessoa é mais autêntica, quanto mais se parece com aquilo que tenha sonhado para si mesma.


E você sonhou o que para si mesma?????  Também estou me perguntando neste momento...

6 comentários:

  1. Lu,

    Comecei aqui... fui até ao 'Choro'. Deixei lá comentário.

    Precisamos cantar - como se soubéssemos cantar...

    Um grande abraço,
    Lu

    ResponderExcluir
  2. Um abraço, um carinho dos amigos do setor F.

    ResponderExcluir
  3. Querida LU,
    Vamos em frente!!!! Desanimar NUNCA!!! Pois
    temos um IRMÃO que é nosso Aliado, uma Mãe que é nossa grande Advogada e muitos e muitos amigos orando!
    Te admiro cada vez mais!Ah! E outra coisa: Tu és linda de qualquer jeito!
    Um beijão da Graça ( do Aristeu)

    ResponderExcluir
  4. Uma bela postagem, acho q vc iniciou com uma obra de profundidade extraordinária, a definição de pessoa autentica é algo a pensar, refletir, analizar muito e ver, até onde sou isso mesmo, pra vc com todo o carinho de boas vindas e fé na luta diaria lhe envio bjos, bjos e bjossssssss

    ResponderExcluir
  5. Lu você é maravilhosa,tem uma enorme familia que te ama e muitos amigos que ti amam e sabemos que tu vai sair dessa.Nós te amamos. Méri(do Renato)

    ResponderExcluir
  6. Estou escutando a radio alinça e rezando por ti, que DEUS te abençoe. Méri

    ResponderExcluir