Selinho

Selinho

17 de julho de 2010

DE LAGARTA A BORBOLETA... INICIANDO UM NOVO CICLO.


Quando descobri que estava com câncer de mama, quem estava comigo era a Magali, minha comadre e amiga de muitos anos, de lá para cá, ela tem passado comigo todas as dificuldades e tem me acompanhado como uma "fiel" escudeira". Logo no início do tratamento ela me deu um livro: De Lagarta A Borboleta: um caminho para a transformação interior. Na contracapa do livro diz o seguinte:
"Não é interessante pensarmos que carregamos em nós todo o potencial de transformação de que necessitamos?
Quantas vezes queremos mudar a nossa vida, as pessoas que nos rodeiam, as situações que vivemos, e nos frustramos, porque não reconhecemos que para alcançarmos vôos mais altos, para sermos mais belos, plenos e realizados, precisamos antes de mais nada, entrar em nosso casulo, em nosso refúgio interior, para daí, com nossos próprios recursos, tecemos nossa transformação. 
E então partimos para a jornada em busca da plenitude."
Nos próximos dias inicia a jornada mais difícil, onde precisarei me recolher e me cuidar ainda mais, a perspectiva do desconhecido me assusta, mas não me paralisa e essa é uma lição do livro:
"Para iniciar um novo ciclo é preciso esperar o tempo de amadurecimento".
Talvez só agora eu esteja pronta para enfrentar os desafios que me aguardam. Eu acredito muito na palavra que diz que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus e é na palavra de Deus, na força da oração, na presença amorosa dos que me rodeiam, que eu vou me abastecer.
Vou viver o inverno, mas sei e tenho certeza que após ele, vem a primavera e até lá terei tempo para ficar no casulo, meditando, me aprimorando, me humanizando ainda mais.
Terminado o tempo do tratamento, serei uma nova pessoa, transformada por tudo que haverei vivido.
Durante este tempo estarei ausente de algumas festas, alguns passeios noturnos e ficarei mais reclusa.
Isso talvez seja o que mais me incomoda. Não tenho medo da solidão, mas não gosto da idéia da reclusão, gosto de gente, de pessoas e de muitas pessoas juntas.
Farei o possível para evitar tudo que pode neste momento atrapalhar o meu processo de cura, quero muito a transformação, a experiência, portanto rezem por mim, para que este tempo seja vivenciado por mim de forma mais "leve".

Um comentário:

  1. NUNCA estarás sozinha!! Martha Medeiros faz uma crônica falando sobre o trato e zelo dos amigos. Ela cita que "A solidão é apenas um sintoma do nosso descaso." Você é uma boa zeladora de amizades e portanto nunca cairá no descaso, por isso tenho certeza que estará sempre rodeada de carinho e amor dos amigos, da família e de Deus.

    ResponderExcluir