Selinho

Selinho

5 de maio de 2010

Retrato


Não sou tão antiga, mas fui criada por vó o que significa que o meu vocabulário é um pouco mais antigo.
Minha vó dizia: - vai tirar retrato?
Também lembro que meu avô costumava recortar as fotografias e retirar as pessoas com as quais brigava. Sempre achei muito engraçado isso, pois se não aparecesse no retrato, era como se não tivesse acontecido o momento, a relação. Sabemos que não apagamos da memória fatos ruins ou desafetos, recortando fotografias, quem dera assim fosse.
Daí fiquei pensando porque fotografamos?
Geralmente "retratamos" o momento feliz, fazemos álbuns de boas recordações. Porém a vida é cheia de boas e más recordações. E é preciso retirar aprendizado de ambos os momentos.
O que é "mau" pode ser exorcizado, se o encaramos de frente, por isso decidi fotografar a dor, para não esquecê-la, quero lembrá-la, não para senti-la de novo, mas sim para afastá-la de mim. Lá está ela no retrato, neste momento se torna passado sem nenhum poder sobre o presente.
Assim também ocorre com os fatos felizes, recordamos não para recuperar a felicidade vivida no momento, que é única e não volta. Mas sim para lembrar que  é possível senti-la novamente (a felicidade); que há esperança, enquanto ainda há lembrança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário