Selinho

Selinho

4 de maio de 2010

Como encontrei a equipe médica...


Quero hoje "documentar", "registrar" a minha gratidão à equipe médica que tem me atendido desde o dia 6 de abril de 2010.
Para entenderem como tudo começou vou narrar brevemente os fatos.
No dia 29 de janeiro de 2010 eu cai, dentro do meu quarto, saindo do banho e quebrei o braço, não só quebrei, mas também desloquei, tive que fazer redução, que é colocar o osso no lugar na marra, foi bem dolorido, uma coisa! Fiquei mais ou menos 50 dias engessada, no calor deste verão que fez "50 graus" .
Me culpando por ter sido tão "boca aberta", como isso tinha acontecido logo comigo, que não ando de moto, para não cair, não ando à cavalo para não cair, cuido a velocidade do carro, quando dirijo, para não me acidentar, não bebo, para não vomitar, logo eu tão previdente, tão responsável. Tive que reduzir minha jornada de trabalho e tive que depender do meu marido para tomar banho, comer, me locomover...
Era o primeiro golpe no meu orgulho.
Em final de março, retirei o gesso e disse: - tudo bem o ano vai começar.
Porém tinha notado que em algum momento deste período em que estava engessada, que o meu mamilo do  seio esquerdo tinha "amassado", achei até graça, disse para as pessoas:
- Era só o que faltava, estou com sorte mesmo, mais uma coisa para ver , o gesso deformou o mamilo!
Resolvi então fazer a mamografia e ecografia mamária, estava na época, tinha feito em março de 2009. Durante o exame notei que a médica não gostou do que viu e tive que repetir duas vezes as chapas do exame.
No dia 01 de abril (tinha que ser o dia dos bobos), peguei o resultado do exame e lá estava o nódulo com aproximadamente 2 cm. Resolvemos eu e o meu marido, não contar nada para ninguém, enquanto não tivéssemos certeza, era quinta-feira santa e queríamos aproveitar o feriado da Páscoa, sem pensar nisso.
Rezei para que Deus me iluminasse na escolha de uma boa mastologista que se interessasse por mim.
Foi aí que a Dra Ana Paula Muller  foi enviada a mim. Sim tenho certeza que ela  foi escolhida a dedo, em função das minhas preces. Na primeira consulta fui sozinha e quando a vi pela primeira vez eu tive uma confiança e uma certeza que era ela a médica que me cuidaria daquele momento em diante. Após o exame clínico e a constatação que na mamografia não haviam boas notícias e que não havia nenhuma relação com a fratura do braço e com o gesso por cima do mamilo, e sim com um tumor que o havia retraído. (Descobri que aquilo que aparentemente era um azar (quebrar o braço) era na verdade uma salvação, pois não teria prestado atenção no meu seio se algo não tivesse acontecido) A biópsia foi marcada e eu fiz o exame no mesmo dia. Quando sai da consulta, a Dra Ana me entregou um cartão e me disse:
- Eu gosto que as minhas pacientes tenham todos os meus telefones. Naquele momento me senti acolhida, escolhida, eu já era dela. Isso faz uma enorme diferença quando estamos fragéis diante de uma situação inesperada.
E eu que até então discursava na escola  sobre a importância de se educar para o inesperado, baseada no meu estudo sobre Edgar Morin, filósofo francês, que escreveu os sete saberes necessários à educação do futuro, era completamente "derrubada" pelo inesperado.
Porém não estava sozinha tinha alguém para naquele momento me levantar e dizer que era possível enfrentar a situação e dar conta dela.
Fiz a biópsia, já na companhia do meu marido e de novo o médico foi especial, perguntou se estava tudo bem, olhou para mim, me entregou um cartão com o número do seu celular e aí eu pensei:
- Ferrou!!!****! Deve ser grave mesmo, pois o olhar do médico era de complacência.
No dia seguinte fui fazer outros exames e o resultado da biópsia tinha ficado pronto.
Graças a Deus, a Magali, minha comadre tinha aparecido lá na escola para ver como eu estava e foi junto comigo fazer outros exames, eu não esperava o resultado tão rapidamente, quando li o exame lá estava:
Carcinoma ductal infiltrante
Levei um choque, ainda bem que sempre tem um anjo comigo. Deus  neste momento convocou um exército de anjos, para que ninguém fique sobrecarregado para me ajudar. Conseguimos rir do diagnóstico, vimos que além de carcinoma, tinham duas palavras difíceis e que pareciam más notícias: ductal e infiltrante. E depois vimos que eram bem ruins mesmo.
Neste momento parei e pensei: -Deus, olhe para mim, apesar da boa formação (convencida, né), eu sou loira, devo ter o gene da burrice em algum lugar pois não estou entendendo a linguagem dos sinais, dá para ser mais específico? Porque está dando tudo tão errado?
Foi então que a Magali me lembrou de que pior do que a minha situação, era a dos meus pais que tem passado por muitas provações e que já tinham enterrado uma filha e um neto. Naquele momento decidi pelo caminho da cura.
Neste caminho resolvi cuidar de mim, terei que retirar o seio, ok, mas vou merecer uma barriga nova e fui lá consultar com o Dr. Leonardo D´Aló, que foi quase um psicólogo, me ouviu, me entendeu, me explicou que faria de tudo para me deixar mais bonita. Me fez acreditar que eu merecia uma compensação. E o resultado está ficando ótimo.
Vocês podem achar que é uma futilidade pensar em beleza em uma hora dessas, mas neste momento, tudo o que eu precisava era de uma mega, super injeção na minha autoestima e foi o que aconteceu.
Também agradeço o Dr Renato anestesista que ficou uma hora e meia nos explicando o procedimento e nos convencendo que o risco era mínimo. Dizia ele, que o procedimento cirúrgico era para refazer a redação de uma página da minha vida, tem forma mais delicada de dizer algo "simplesmente complicado" que é uma cirurgia?
Agradeço também ao meu ginecologista e a sua esposa: Dr Victor Hugo Rangel e Ana Rangel, que me ligaram, me incentivando e apoiando, ele que me acompanha desde os meus 20 anos.
Enfim Deus entregou dons preciosos nas mãos de pessoas, algumas destas se tornaram médicas e hoje ajudam a reconstruir vidas.
Obrigada a todos vocês que tem participado deste momento de aprendizado que tenho vivido.
Que Deus abençoe a família de vocês.

2 comentários:

  1. Oi,Lu,se posso te chamar desta forma,pois não te conheço pessoalmente?
    Fiquei emocionada lendo teus depoimentos,observando o quanto és criativa e imaginando,o quanto deve ser agradável conviver contigo!
    Eu também sou professora e orientadora educacinal.Amo minha profissão,embora,tenho estado afastada do serviço,pois, por ser muto exigente comigo mesma,achei por bem dar um tempo.Como orientadora,muitas vezes as frustrações tomam conta de mim! E,neste momento,estou me restabelecendo,me encontrando novamente!
    Eu também tive câncer de mama e sou paciete da Dra. Ana Paula. Também era ductal infiltrante,grau III e triplo negativo,não tomarei medicação.
    Fiz cirurgia em 26 de janeiro deste ano,fiz 6 ciclos de quimioterapia e 33 radioterapias. Fui atendida na Clínica Oncotrata,que por sinal,é maravilhosa! Fiz amizade com o pessoal,todas são ótimas Fiquei com excelentes lembranças das meninas!
    Minhas radios foram no Hospital Moinhos de Vento,com a dra. Rose. Outro doce de pessoa! Meiga,atenciosa,amiga,dedicada,carinhosa,nota100!
    Também fui super acolhida pela dra Ana e por todos que me trataram, incluindo, Dr. Carlos Eugenio ,meu Oncologista.
    Hoje,estou apenas fazendo as consultas com o Onco,fazendo exames de sangue,para controle. E ,dia 16 de dezembro,terei consulta com a Dra. ANA. Estou louca de saudades dela.Ela sempre foi muito atenciosa e ,durante meu tratamento,peça muitíssimo importante,pois tive depressão,por alguns dias. Eu me trato para essa danada!
    Eu fiz do "limão ,uma limonada" Fiz até um boock´! Tirei muitas fotos durante todo o tempo. Eram através delas que consegui me livrar da tristeza! E o bom disto é que descobri um talento em mim que estava escondido: Ser fotogênica. Imagine só! Nunca gostei de tirar fotos,me achava feia. . . Mas,percebi em mim uma mulher que não conhecia! Fiz quetão de ficar careca,aparecer careca,usei muitos lenços,bonés,chapéus,brincos diferentes. . . E,agora estou curtindo o cabelinho curto.Não quis colocar peruca,mas,quem sabe até se não iria gostar?!
    O importante de todo este processo,não é aparência física,mas é se dar conta de nossos erros e,tentar trilhar um novo caminho.Pois,conforme um livro que estou lendo: 'A maneira como vemos as coisas,nossa forma de pensar,é que determinam nossas atitudes e elas é que movem os fatos em nossa vida'
    Eu desejo que Deus continue abençoando a ti e tua família! Parabés por ter filhos e marido que te apoiam e te amparam!
    Um grande abraço! Claudia

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    Eu me chamo Cláudia e adorei ler o comentário de vcs em relação a Dra Ana Paula e o Dr Leonardo.
    Preciso tirar um cisto sebáceo, benigno, e aproveitarei para fazer a redução mamária e talvez uma cirurgia estética de abdomem.
    Adorei a Dra Ana, mas o dr. Leonardo eu não conheço, mas gostaria de fazer a minha plástica com ele por acreditar na competencia da Dra Ana e da sua equipe.
    Abraços

    ResponderExcluir