Selinho

Selinho

29 de março de 2009

Nada de controle...


Talvez a coisa mais difícil na minha vida, seja aceitar que não posso controlar o que está a minha volta. Diariamente me pego, querendo impor a minha vontade, à vida. E acreditem não é nada de muito complexo, o que desejo controlar, é o dia a dia mesmo.
Mas mesmo o dia, é sem controle. As pessoas nascem, morrem, ficam felizes, ficam tristes, celebram, se fecham e não há nada que possamos fazer.
Sexta-feira última, fez seis meses do falecimento do Nono, ele morreu mesmo, e eu não pude fazer nada para mudar isso. Morreu de acidente de carro, apesar de eu ter tentado aconselhá-lo várias vezes para que não abusasse da velocidade.
Eu falava...
Às vezes brigava, e no que deu? Não pude fazer nada.
Pelo menos não foi por falta de aviso, nem de amor.
Mas se eu soubesse que ele iria morrer, não de qualquer jeito, mas desta morte, não teria perdido tempo, brigando e tentando impor a minha vontade, teria abraçado mais ele, teria conversado mais sobre coisas sem importância e teria talvez guardado mais lembranças da simples presença dele.
Por isso vou decidir estar apenas disponível sem querer controlar.
Vou ser um bom ouvido e vou esquecer que tenho boca, se me perguntarem darei minha opinião ressaltando que é apenas uma percepção e não uma verdade absoluta.
A partir de hoje nada de verdades absolutas e certezas demolidoras, apenas tentarei ser acolhimento e aceitação.
Vai ser difícil mas creio que vou me sentir mais perto das pessoas e de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário