Selinho

Selinho

16 de fevereiro de 2009

O homem que amava as gaivotas...

O homem que amava as gaivotas...
E porque elas pararam de brincar com ele...
Uma estória sobre a futilidade de ir atrás de felicidade...


Era uma vez um homem que vivia na praia e amava as gaivotas. Todas as manhãs ele descia até o mar para passear com as gaivotas. E mais centenas de pássaros vinham brincar com ele. Um dia seu pai lhe disse: “Eu ouço as gaivotas ao seu redor. Passeando com você – traga algumas para brincar comigo.” No dia seguinte, quando ele foi até o mar, as gaivotas dançavam acima dele... e não desceram.


O maior segredo da vida – e lembre-se disto sempre – é que a vida é uma dádiva. Em primeiro lugar você não a mereceu. Não é um direito seu. Ela foi lhe dada, você não a mereceu. Quando você compreender isso, muitas coisas ficarão claras.
Se a vida é uma dádiva, então tudo que pertence a vida é uma dádiva. Felicidade, amor, meditação – tudo o que é belo também é uma dádiva do sagrado do todo.
Você pode ser feliz, mas não existe nada que garanta isso como um direito seu. Se você pensa que é um direito seu, continua sem alcançá-lo, porque desde o começo está olhando na direção errada.
Porque é assim, porque a vida é uma dádiva, tudo o que pertence e é intrínseco a ela será uma dádiva também. Você pode ser receptivo a ela, pode se entregar a ela, aguardando, paciente; mas não pode exigir, não pode forçar.
O que você faz quando quer dormir? Não faz nada, simplesmente espera, num estado de espírito relaxado. Simplesmente deixa que o sono venha - não pode forçá-lo. Não pode exigir, não pode dizer: “venha sono, venha”!
Quando você procura demais, acaba se fechando; a própria tensão da procura e da busca o fecha. Quando você deseja demais, o próprio desejo se torna um estado tão tenso que a felicidade não consegue penetrar em você. A felicidade penetra em você do mesmo modo que o sono quando você se desliga, quando se entrega, quando simplesmente espera, eles vêm.
Na verdade dizer que eles vêm não é certo eles já estão lá. Num ato de entrega você os vê e sente, porque está relaxado. No relaxamento você se torna muito sensível – e a felicidade é a coisa mais sutil possível, a mais sutil, a verdadeira nata da vida, a essência. Quando você está relaxado, numa entrega total, não fazendo nada, não indo a lugar algum, sendo não como uma flecha, mas sim como um arco, relaxado, sem tensão – ela aparece.
A felicidade sempre esteve perto de você, mas você não estava lá. Você estava pensando em algum lugar do futuro: - tenho que alcançar um alvo, conquistar a felicidade, praticar o contentamento. Você estava no futuro e a felicidade estava bem aqui ao seu redor com a fragrância de uma flor.
Sinta mais, pense menos, e aos poucos você verá que, quanto mais sente, mais relaxado você fica. Quanto mais você sente, mais ciente se torna do segredo da vida: estar disponível.

“Era uma vez um homem que amava as gaivotas...”

O amor é o verdadeiro centro de todos os sentimentos; o amor é a alma de todos os sentimentos. Todos os sentimentos dependem do amor.
Se você ama todos os sentimentos aparecem: raiva e ódio também fazem parte do amor. Quando você ama, fica feliz, mas também fica triste.
Dizem que alguém pediu a Santo Agostinho: “diga-me numa frase simples, a mensagem total de Cristo, porque eu sou um homem ignorante e não consigo entender as sutilezas da teologia”. Dizem que Santo Agostinho fechou os olhos e meditou; em seguida disse: então só há uma coisa a fazer – ame e tudo o mais será conseqüência.
Extraído do livro: O homem que amava as gaivotas – Osho.
Estamos dividindo um pouco com vocês a riqueza deste capítulo e queremos fazer algumas reflexões:

Quem são as minhas gaivotas?
O que eu faço desperta em mim amor?
Amo as crianças?
Amo o que eu faço?
Amo a minha criança interior?
Penso na felicidade?
Para mim a felicidade é...

7 de fevereiro de 2009

Eu quero ser poderosa e você?

Início de 2009, fevereiro, estamos ainda planejando o ano, uma vez que parece que vai começar de fato após o carnaval. Dá tempo ainda de pensar o que queremos para 2009. Eu já sei que quero me tornar “poderosa” e “invencível”. Quero ser invencível para o desânimo, a inveja, o mau humor, a falta de solidariedade. Neste ano o meu foco está em descobrir e usar o poder feminino que em mim reside.
Sei que o momento é de se olhar e descobrir a força que tenho e colocá-la a disposição dos outros, pois quem acha que ser poderosa é ser onipotente e infalível, está enganada, uma mulher de força sabe que é preciso dar o melhor de si a todos, que é preciso perceber que os erros fazem parte da vida e são oportunidades maravilhosas de amadurecimento e crescimento.
Cada existência é única e, por isso, não existe um só poder. “poderosa é a mulher genuína, aquela que exerce seu estilo de vida e deixa aflorar os seus dons e sua força criativa”, define a psicóloga Lucia Rosenberg. Uma mulher de força descobre quais são os poderes que possui e os utiliza para comandar o seu destino.
Acredito que já conheço alguns dos meus “poderes” especiais, mas encontrei algumas dicas que me ajudaram e podem ajudar quem quer ter um ano cheio de conquistas:
• Invista no auto-conhecimento: quem se conhece bem aproveita melhor os recursos internos e respeita os próprios limites. Assim consegue definir prioridades e traçar objetivos viáveis.
• Invista nos relacionamentos: Ninguém é uma ilha, todas precisamos às vezes de um colo ou de um ombro amigo, nestes casos pedir às vezes é mais difícil que dar. Reveja seus conceitos, não acredite que ser poderosa é não depender de ninguém. A mulher forte conhece sua fragilidade.
• Não se leve tão a sério: Perdoar-se pelas próprias mancadas e aprender a rir delas é fundamental. O paradoxo é que quanto mais poderosa você for, menos precisará ostentar sua força. Não perca energia com isso. Seja humilde e saiba perdoar também quem está a sua volta. O ressentimento é a causa de muitas doenças psicológicas e até mesmo físicas.
• Abra-se para o novo: experimentar programas diferentes, descobrir um hobby inusitado, viajar, ler, estudar, são exemplos de atividades que ampliam os horizontes. Sem contar que podem ser uma fonte de prazer enorme.
• Descubra o poder que reside no seu olhar, saiba que ele comunica: acolhe, cuida, atende, olhe nos olhos olhe e veja. Podemos ficar cegos diante das maravilhas que a nossa vida oferece.
• Viva o presente: colha o dia, viva como uma rosa que acabou de desabrochar, pois em breve todas nós iremos “murchar”, não percamos o instante mágico que o dia de hoje nos oferece.
• Não perca tempo cultivando maus sentimentos e mágoas a vida é um longo caminho e às vezes parece que se anda em círculos (voltamos ao mesmo ponto), portanto seja benevolente com os erros dos outros, amanhã você poderá precisar desta mesma benevolência.
• Conheça seus medos e enfrente pelo menos um por dia. Saiba que uma mulher poderosa é aquela que consegue dominar os seus medos.
• Tenha fé, este é o maior poder de todos, pois quando estamos conectados com Deus descobrimos que tudo nesta vida é uma passagem e como tal passará... Uma mulher que tem fé sabe que durante a jornada encontrará em um ser maior a força que a tornará poderosa.

Algumas frases poderosas:

“O ideal está em ti, porém o obstáculo para o seu cumprimento também está em ti.”
Thomas Carlyle
“Humildade para ter coragem de se colocar na posição de aprendiz da vida. Humildade para aprender as lições. Humildade pra parar de se julgar um deus.”
Roberto Shiniashyki
“Concentre-se em sua vocações e seus talentos e não se preocupe em agradar a ninguém. Viver para ser admirado pelos outros cria apenas fracasso e frustração.”
Roberto Shiniashyki
“Sempre acreditamos que existe algo chamado destino, porém sempre temos acreditado também, que existe livre arbítrio. O que diferencia os homens é o equilíbrio que encontram nesta contradição”.
Chesterton

“O homem é mortal por seus medos e imortal pelos seus desejos”.
Pitágoras